Obras

O VOLTAR
Bach – Cantata, BWV 151: Ária de abertura
Fim de Ano Clássico

Bach – Cantata, BWV 151: Ária de abertura

Os comentaristas são unânimes em destacar o caráter excepcional da ária de abertura da Cantata, BWV 151, Süsser Trost, mein Jesus kömmt (Doce consolo, chegou Jesus):

“A ária inicial é uma das criações mais inspiradas de Bach.”

“A canção de ninar para soprano com flauta e cordas é uma das mais deslumbrantes obras de Bach.”

“A Cantata 151 é um tesouro em miniatura.”

“… o clima é de graça celestial…”,

e assim por diante.

O musicólogo Alfred Dürr discorre sobre a peça:

“Bach seleciona e separa o contraste entre Trost (consolo) e Freude (alegria): a parte principal com a indicação molto adagio e a parte central intitulada vivace. No ritornello inicial, as amplas frases melódicas, desenvolvidas a partir das passagens ornamentais da flauta, são sempre acompanhadas pelo oboé d’amore e pelas cordas piano sempre.

A parte central mais rápida, vivace, é dominada pelo motivo Herz und Seele (coração e alma) expandida pelos instrumentos e interrompida pelos melismas nas palavras Freuet sich (regozijai-vos). Uma repetição da capo encerra o movimento.”

Bach – Cantata, BWV 151 | Maria Keohane (soprano) e Netherlands Bach Society sob a regência de Jos van Veldhoven