Obras

O VOLTAR
Bach - Variações Goldberg: Ária e Variação nº 25
As Mais Belas MelodiasBach

Bach – Variações Goldberg: Ária e Variação nº 25

As Variações Goldberg são consideradas a composição mais importante jamais escrita para o cravo. Mostram o excepcional domínio de Bach dos diversos estilos de música de sua época.

A Aria de abertura é de celestial doçura e volta ao final da obra. Embora seja repetida nota a nota, segundo alguns críticos, ela soa diferente depois de todo o percurso da composição.

Outro ponto alto da peça é a Variação nº 25. Sua beleza e trágica paixão a fazem o centro emocional da obra. A cravista Wanda Landowska a chamou de “a pérola negra.”

Vamos ouvir, a seguir, duas interpretações diferentes da Aria.

A primeira é com o pianista Lang Lang, que acaba de lançar pela Deutsche Grammophon um álbum com as Variações Goldberg. A crítica tem sido favorável, ressaltando, porém, sua interpretação um tanto romântica e, por vezes, excêntrica. Lang Lang é um gold star do piano, um virtuose sensacional. Agora, com 38 anos e recém-casado, diz ter atingido a maturidade. Seja como for, sua interpretação da ária de abertura me parece um momento de sublime inspiração e sentimento. O que vocês acham?

Bach – Variações Goldberg: Aria | Lang Lang (piano)

A segunda interpretação é uma gravação histórica de 1957 com a pianista Rosalyn Tureck, que toca a Aria e a Variação nº 25:

Bach – Variações Goldberg: Ária e Variação nº 25 | Rosalyn Tureck (piano)