Obras

O VOLTAR
Bartók - Música para Cordas, Percussão e Celesta
BartókPercussão

Bartók – Música para Cordas, Percussão e Celesta

Em 1934, o maestro suíço Paul Sacher casou-se com a herdeira da indústria farmacêutica Roche. Agora um dos homens mais ricos do mundo, o maestro aplicou seu dinheiro em uma de suas paixões: a música nova.

Para celebrar o décimo aniversário da Orquestra de Câmara de Basel, que havia fundado, Sacher encomendou uma obra de um dos compositores de vanguarda da época, o húngaro Béla Bartók (1881-1946). A peça escrita por Bartók – Música para cordas, Percussão e Celesta – seria reconhecida como uma de suas obras-primas.

“É uma das mais puras e mais bem proporcionadas destilações de seu estilo maduro. A música envolve muitas das contradições que fazem sua arte tão fascinante, ao mesmo tempo primitiva e sofisticada, selvagem e controlada, serena e aterrorizante, séria e cômica.” (Calvin Dotsey, escritor das notas de programa da Sinfônica de Houston)

Sua instrumentação é sui generis: duas orquestras de cordas, uma de cada lado; ao centro e mais afastado, um conjunto de instrumentos de percussão e teclado (xilofonecaixapratostam-tambumbo, tímpanoscelesta e piano).

São quatro os seus movimentos:

 O primeiro é um Andante tranquilo, uma fuga meditativa no início. Aos poucos a tensão se eleva inexoravelmente, a música fica mais alta, até um clímax que é uma série de mi bemóis repetidos.

“O segundo movimento é um Allegro enérgico que combina os ritmos animados da música de rabeca húngara com os padrões estruturais que Mozart ou Beethoven teriam usado.” (Calvin Dotsey)

O terceiro movimento, Adagio, é um exemplo do que é chamado música de noite de Bartók. Apresenta uma parte importante para o xilofone, que abre o movimento. Para os que gostam de matemática, é comum a interpretação de que este solo é baseado na Sequência de Fibonacci: acelerando/retardando, usa o ritmo 1: 1: 2: 3: 5: 8: 5: 3: 2: 1: 1.

No último movimento, Allegro Molto, os violinos começam em pizzicato (dedilhado), imitando as cítaras e os címbalos tradicionais húngaros. O movimento tem assim o caráter de uma animada dança camponesa.

Bartók – Música para Cordas, Percussão e Celesta | Orchestre Philharmonique de Radio France, Alan Gilbert (regente).