Obras

O VOLTAR
johannes brahms Presto alla Zingarese
BrahmsMúsica CiganaMÚSICA DE CÂMARA

Brahms – Quarteto para Piano e Cordas nº 1, Op. 25: “Rondó, Presto alla Zingarese”

Um fogoso Presto alla Zingarese é o quarto e último movimento do Quarteto nº 1 para Piano e Cordas, Op. 25, de Johannes Brahms.

Estreado em 1861 – Brahms então tinha 28 anos –,  reflete o fascínio que os compositores do século XIX tinham pela música cigana, ou mais precisamente Romani (os violinistas ciganos eram conhecidos por suas improvisações muito ornamentadas e cheias de súbitas inflexões).

Brahms une o rondó, uma forma musical do século XVIII, que alterna um tema principal com vários temas contrastantes, às melodias ciganas tradicionais.

A energia do rondó e a escrita brilhante de Brahms, especialmente para o piano, fizeram desse o movimento mais popular do Quarteto desde a sua estreia. As indicações de andamento (Presto; Meno presto; Molto presto) revelam as intenções do compositor.

Ivor Keys, biógrafo de Brahms, afirma: “[O Rondó] foi claramente composto para ser um gran finale apoteótico – e foi.”

Brahms – Quarteto para Piano e Cordas nº 1 , em Sol Menor, Op. 25: Rondo, Presto alla Zingarese | Leif Ove Andsnes (piano), Christian Tetzlaff (violino), Tabea Zimmermann (viola), Clemens Hagen (violoncelo)

Saiba mais sobre o Quarteto para Piano e Cordas nº 1, Op. 25:

Brahms – Quarteto para Piano e Cordas nº 1, Op. 25