Obras

O VOLTAR
Debussy Estampes
DebussyDebussy é impressionistaParis 1900PIANO

Debussy – Estampes

Estampes (Gravuras) é uma obra revolucionária, que evoca lugares distantes com sutileza e precisão. Todavia, houve também considerações mais práticas, como diz, com ironia, Debussy: “Quando você não tem recursos para pagar suas viagens, tem de se contentar em fazê-las na imaginação”.

Pagodes é um tributo ao Extremo Oriente, inspirado pela música que Debussy ouviu na Exposição Mundial de Paris em 1889 e 1900. A peça faz amplo uso da escala pentatônica e da percussão gamelan de Java e Bali. Debussy anota na partitura que deve ser tocada “quase sem nuance”.

La Soirée dans Grenade usa a escala árabe e imita o dedilhado da guitarra para evocar imagens de Granada. Debussy tinha muito pouca experiência de vida na Espanha. Apesar disto, diz o compositor espanhol Manuel de Falla sobre a Soirée: “Não há aqui nem um compasso sequer de música folclórica espanhola e, no entanto, a peça inteira, em seus menores detalhes, retrata admiravelmente a Espanha”.

Jardins sous la Pluie retrata um jardim na cidade normanda de Orbec durante uma tempestade extremamente violenta. Ao longo de toda a peça, ouvem-se sons do vento furioso e da chuva torrencial. Aparecem também duas canções folclóricas francesas Nous n’irons plus aux bois e Dodo, l’enfant do, sugerindo talvez a frustração das crianças, presas em casa.

Debussy – Estampes | Nikolai Lugansky (piano)