Obras

O VOLTAR
DebussyMÚSICA ORQUESTRAL

Debussy – La Mer

Em carta a seu amigo André Messager, de 12 de setembro de 1903, Debussy anuncia:

“Estou trabalhando em três esboços sinfônicos intitulados: 1. Mar calmo nas Ilhas Sanguinaires; 2. Jogo das ondas; 3. O vento faz o mar dançar. O conjunto vai se chamar La Mer (O Mar) … Você talvez não saiba, mas eu era destinado à nobre carreira de marinheiro e só me desviei deste caminho por força dos caprichos do destino. Mesmo assim, guardo uma sincera devoção ao mar.”

Apesar dos títulos sugestivos de suas peças – Debussy era tanto um compositor visual quanto literário -, ele insistiu que seu editor colocasse uma versão estilizada da Onda (A Grande Onda de Kanagawa) do mestre japonês Hokusai (reproduzida à esquerda) na capa da partitura.

No primeiro esboço, Do Nascer do Sol ao Meio-Dia (Muito lento, animando-se pouco a pouco), a música vai gradativamente ganhando em brilho e energia.

O segundo esboço, Jogo das Ondas (Allegro, em um ritmo muito flexível e animado), é cheio de brilho e vivacidade. É construído de pequenos fragmentos temáticos e harmônicos, num mosaico sempre cambiante de matizes orquestrais.

No final, Diálogo do Vento e do Mar (Animado e tumultuoso), Debussy retoma um tema da abertura, mas que aqui impulsiona a música a um clímax, um triunfante coral dos metais.

Debussy - La Mer | Orquestra do Festival de Lucerna, Claudio Abbado (regente)