Obras

O VOLTAR
Dvórak - Danças Eslavas Op. 46
DvorákMúsica e Dança: Nacionalismo

Dvorák – Danças Eslavas, Op. 46

Antonín Dvorák (1841-1904) utiliza diversos aspectos (especialmente os ritmos) da música folclórica da Morávia e de sua Boêmia natal em seus trabalhos, seguindo o exemplo nacionalista do compositor Bedřich Smetana. Segundo um crítico, sua obra é “a mais completa recriação de uma linguagem nacional e de seu uso no estilo sinfônico tradicional”.

As polcas, furiants, dumkas, kolos, mazurcas e danças da Boêmia e da Morávia são a inspiração de Dvorák para as Danças Eslavas, Op. 46, a primeira floração do nacionalismo tcheco. O compositor seguiu o conselho de seu mentor Johannes Brahms e as enviou ao editor Simrock em 1878, recebendo por elas 300 marcos em pagamento.

Embora estas peças tenham sido originalmente compostas para piano a quatro mãos (uma inteligente estratégia do editor, já que havia muito mais pianistas do que orquestras), Dvorák começou a orquestrá-las antes que a versão para teclado fosse concluída. Simrock, então, publicou as duas versões em agosto de 1878.

O influente crítico Louis Ehlert fez uma crítica muito favorável às peças e houve uma corrida do público às lojas de música. Dvorák ficou subitamente famoso (e Simrock, rico).

Oito anos mais tarde, Dvorák escreveu uma segunda série, as Danças Eslavas, Op. 72. O pagamento agora foi de 3000 marcos, dez vezes a quantia da primeira versão.

Dvorák – Danças Eslavas, Op.46 | Orquestra Sinfônica de Praga, Tomáš Brauner (regente)