Obras

O VOLTAR
Gershwin – Rhapsody in Blue
MÚSICA ORQUESTRALPIANO

Gershwin – Rhapsody in Blue

Rhapsody in Blue (Rapsódia Azul), de George Gershwin (1898-1937), ocupa um lugar especial na música norte-americana: a composição apresentou o jazz ao público de música clássica e fez de seu autor uma repentina estrela.

A Rapsódia tem uma história interessante. Em 1924, Ira Gershwin mostrou a seu irmão George uma notícia de jornal em que Paul Whiteman, líder de uma banda de jazz, afirmava que Gershwin estava compondo um jazz concerto.

Isto era novidade para Gershwin, que entrou em contato com Whiteman para desmentir a notícia do jornal. Porém Whiteman acabou convencendo o compositor a aceitar a tarefa, que ele concluiu em três semanas.

O fenomenal talento de pianista de Gershwin empolgou a plateia na estreia, surpresa também ao ouvir o jazz como música clássica. Outro ponto alto da estreia foi o sensacional solo de clarineta que abre a Rapsódia, que se tornou a “peça de assinatura” do clarinetista Ross Gorman.

“Os ritmos pulsantes, sincopados do início”, afirma a musicista Elizabeth Schwartz, “dão lugar, mais adiante, a uma melodia quente e expansiva que Rachmaninov poderia ter escrito”.

Gershwin – Rhapsody in Blue | Yuja Wang (piano) e Camerata Salzburg regida por Lionel Bringuier