Obras

O VOLTAR
Mozart - Concerto para Piano e Orquestra nº 11 em Fá Maior, K. 413
MozartO Melhor de Mozart

Mozart – Concerto para Piano e Orquestra nº 11 em Fá Maior, K. 413

Em carta de 28 de dezembro de 1782, Mozart escreve a seu pai:

“Faltam-me ainda dois concertos para completar a série que vou oferecer à subscrição pública.  Estes concertos são um meio-termo entre o que é fácil demais e o que é difícil demais. Eles são muito brilhantes, agradáveis ao ouvido e naturais sem serem insípidos. Há também aqui e ali passagens que só os connoisseurs poderão apreciar; mas estas passagens são escritas de uma tal maneira que os ouvintes menos sofisticados também gostarão delas, embora sem saber por quê.”

Mozart se refere, nesta carta, ao conjunto de três concertos K.413 a 415. Vamos apresentar o primeiro, o K.413.

O charme galante do primeiro movimento do concerto revela claramente o desejo de agradar aos ouvintes.

Algo especial espera os connoisseurs no Larghetto, uma criação diáfana em que o solista tece uma fioritura de grande sutileza.

O Tempo di Menuetto final expande o que foi apenas um episódio no final do Concerto Jeunehomme (já comentado aqui no site) e o transforma em um rondó bem trabalhado.

Mozart parece ter atingido seus objetivos com estas obras, a julgar por esta notícia publicada em uma revista, em março de 1783:

“Hoje, o celebrado Chevalier Mozart apresentou uma Academia Musical em seu próprio benefício, no Teatro Nacional. A Academia contou com a presença de um público extraordinariamente grande.

Dois novos concertos para o fortepiano foram apresentados, além de outras obras, todos recebidos com ruidosos aplausos.

Nosso monarca, que, contrariamente a seu costume, prestigiou o programa todo, uniu-se ao público nos aplausos, com entusiasmo nunca visto.”

MozartConcerto para Piano e Orquestra nº 11 em Fá Maior, K.413 | Yael Koldovsky (piano), Israel Chamber Orchestra, Yoav Talmi (regente).