Obras

O VOLTAR
Mozart - Quarteto em Mi bemol maior, K. 428 - haydn
MozartQuartetos de CordaQuartetos: Classicismo

Mozart – Quarteto em Mi bemol maior, K. 428

O Quarteto K. 428 é o terceiro dos seis quartetos dedicados por Mozart a Haydn. Na carta, escrita em italiano, em que ele dedica seus quartetos “al suo caro amico Giuseppe Haydn” (para seu querido amigo Joseph Haydn), Mozart diz que eles são “il frutto di una lunga e laboriosa fatica” (o resultado de um longo e laborioso trabalho).

Com efeito, os manuscritos autógrafos de Mozart, que são, em geral, primorosos, mais parecendo o trabalho de um bom copista, estão aqui cheios de rasuras e correções.

A composição dos seis quartetos se estende por mais de dois anos, indo de dezembro de 1782 a janeiro de 1785. Eles são, na verdade, o que de melhor Mozart escreveu no gênero. Sua linguagem musical, porém, extremamente trabalhada e sofisticada, não agradou ao público da época.

O Quarteto K. 428 deve ter parecido obscuro aos críticos da época. Ele é o mais conciso, o mais secreto e o mais abstrato do conjunto; por isso nem sempre tem sido apreciado como merece.

Sua linguagem é cheia de luz e sombra e de ousadias harmônicas que prenunciam Wagner, especialmente no extraordinário Andante con moto.

Mozart – Quarteto em Mi Bemol Maior, K. 428 | Quarteto Emerson