Obras

O VOLTAR
Frévier et Poulenc Concerto para dois Pianos
Francis PoulencMúsica Francesa: Séc. XX

Poulenc – Concerto para Dois Pianos

O Concerto para Dois Pianos, de Francis Poulenc, foi encomendado pela Princesa Edmond de Polignac (“Winnie” Singer), norte-americana, herdeira de Isaac Singer (das máquinas de costura Singer) e socialite, casada com um nobre francês que também atuava como compositor amador.

Ela solicitou a Poulenc que compusesse um concerto para dois pianos. Assim, ele e o pianista Jacques Février, seu amigo de infância, teriam algo para tocar em conjunto.

No Concerto, Poulenc procura recriar a atmosfera do elegante Salon da Princesa. A peça é uma obra de transição, combinando o humor travesso da juventude com a crescente vulnerabilidade da fase madura do compositor.

A estreia deu-se em 5 de setembro de 1935, na Sociedade Internacional de Música Contemporânea, em Veneza. Poulenc e Février tocaram juntos, como solistas, acompanhados pela Orquestra do La Scala de Milão.

“O primeiro movimento (Allegro ma non troppo) tem uma exposição e recapitulação em forma sonata, entremeadas por pedaços de canções populares (como croutons em uma salada), que complementam os temas animados do compositor. A seção central, lenta e lânguida, substitui o desenvolvimento antes que Poulenc volte aos boulevards e às boîtes.” (Roger Dettmer, crítico musical).

Poulenc afirmou que a seção final, suave e ondulante, foi inspirada pela música gamelan de Bali que havia ouvido durante a Exposição Colonial de Paris em 1931.

Felizmente, temos um registro histórico de Francis Poulenc e Jacques Février acompanhados pela Orquestra Nacional da Rádio e Televisão Francesa, sob a regência de George Prêtre:

– 1º movimento

 

– 2º movimento

 

– 3º movimento