Obras

O VOLTAR
Prokofiev - Romeu e Julieta: “Julieta Jovem” e “Dança dos Cavaleiros”

Prokofiev – Romeu e Julieta: “Julieta Jovem” e “Dança dos Cavaleiros”

Em 1935, Prokofiev voltou à União Soviética para atender a uma oferta lucrativa de escrever uma ópera ou um balé. Quando aceitou a encomenda do teatro Kirov (hoje Mariinsky), ele estava fora da Rússia desde 1918 e viu a oferta como uma espécie de volta à casa.

Prokofiev tinha considerado primeiro adaptar Tristão e Isolda para o balé, mas concluiu que não podia competir com Wagner. Depois, Pelléas et Mélisande, porém desistiu pelo mesmo motivo, em relação a Debussy.

Com a participação de amigos, o compositor teve então a ideia de fazer uma adaptação de Romeu e Julieta para o balé. Passou o verão em Polenovo (Refúgio dos Artistas) e completou uma versão anotada para piano em quatro meses.

Romeu e Julieta revelou-se uma obra idiossincrática: dentre as várias modificações no enredo, a última foi a mais bem recebida – no final, quando Romeu quer suicidar-se, Frei Lourenço intervém e tenta tomar seu punhal. Enquanto lutam, Julieta começa a respirar. O palco se enche de personagens e todos começam a dançar.

O balé se tornou um dos mais apreciados do repertório clássico e deu origem a várias suítes.

Prokofiev – Romeu e Julieta: “Julieta jovem” | George Enescu Philharmonic Orchestra, Yuri Botnari (regente)

Prokofiev – Romeu e Julieta: “Dança dos Cavaleiros” | Tugan Sokhiev (regente)