Obras

O VOLTAR
ravel quarteto em fá maior
Quartetos: Séc. XXRavel

Ravel – Quarteto de Cordas em Fá Maior

“Em nome dos deuses da música e em meu nome, não toque em nenhuma nota do que você escreveu em seu quarteto.”   

(Debussy a Ravel)

Na verdade, uma grande influência sobre o Quarteto em Fá Maior de Ravel, composto em 1903, foi a obra de Debussy, particularmente seu Quarteto em Sol Menor (e, assim como Debussy, Ravel também escreveu somente uma peça para quarteto de cordas).

Ao mesmo tempo, as texturas claras e transparentes e o controle da organização básica da obra são testemunhas da tendência de Ravel ao neoclássico e de sua admiração por Mozart.

Finalmente, há efeitos tonais estranhos que refletem um interesse pela música exótica do Extremo Oriente.

O primeiro movimento, lírico e em forma sonata, apresenta dois temas que voltam a ocorrer mais tarde.

No segundo movimento, Ravel evoca o som de uma orquestra gamelan javanesa, em sua rápida abertura em pizzicato. Trinados e tremolos criam grande brilho, à medida que o movimento se desenvolve.

O terceiro movimento, lento, lírico e rapsódico, utiliza fragmentos do tema principal do primeiro movimento sobre um fundo harmônico e sereno.

O vigoroso final cria um contraste em relação ao movimento anterior. A turbulência dos compassos iniciais volta e a obra termina com grande energia.

Ravel – Quarteto de Cordas em Fá Maior | Quarteto Hagen

1º Movimento: Allegro moderato. Très doux

2º Movimento: Assez vif – Très rythmé

3º Movimento: Très lent

4º Movimento:Vif et agité