Obras

O VOLTAR
Ravel – Sonatina
Ravel por ele mesmo

Ravel – Sonatina

O primeiro movimento da Sonatina foi composto por Ravel para um concurso promovido pela Revista Weekly Critical Review. O concurso pedia o primeiro movimento de uma sonatina para piano com menos de 75 compassos. O vencedor receberia 100 francos.

Ravel foi o único que se apresentou, mas sua composição foi desclassificada por ter alguns compassos a mais. O concurso acabou sendo cancelado porque a revista estava à beira da falência.

Dois anos mais tarde, Ravel terminou o segundo e terceiro movimentos da sonatina, que foi publicada pouco depois.

O primeiro movimento é um Allegro em forma sonata; seu tema é recapitulado nos dois movimentos seguintes.

O segundo, Movimento de Minueto, não tem a seção intermediária usual de um Trio, o que é compatível com a forma abreviada de uma sonatina. Ravel usa a estrutura usual de um minueto, mas emprega mudanças de acentos e andamentos que o fazem diferente de uma simples valsa.

O terceiro movimento, Animé, é um tour de force virtuosístico ao estilo de Debussy. Os desafios técnicos envolvem arpejos dificílimos, polirritmos, ostinatos rápidos e posições de mãos conflitantes em grande velocidade. Ravel nunca o executava em público.

Vamos ouvir Ravel tocando os dois primeiros movimentos da Sonatina, em uma gravação feita em piano roll:

E, a seguir, uma gravação histórica, de 1956, com o pianista Walter Gieseking, considerado o maior intérprete de Ravel do século XX: