Obras

O VOLTAR
Música e PinturaSchoenberg

Schoenberg e Kandinsky – A Invenção da Abstração

SINESTESIA

Em 2 de janeiro de 1911, o pintor russo Wassily Kandinsky (1866-1944) foi a um concerto cujo programa era dedicado a obras do compositor austríaco Arnold Schoenberg (1874-1951). A música que ele ouviu mudou toda sua teoria artística.

No dia 18 de janeiro, Kandinsky escreveu a Schoenberg: “O que nós dois estamos buscando, e toda nossa maneira de pensar e de sentir têm tanto em comum, que eu me sinto plenamente justificado em lhe expressar minha empatia”.

Nesta época, Kandinsky estava trabalhando em uma série intitulada Impressão. O primeiro quadro que ele pintou depois foi Impressão III: Concerto.

O uso da palavra Impressão se refere a quadros que reproduzem uma expressão direta de natureza interior. Assim, a pintura não é do concerto que ele ouviu, mas sim de sua impressão da execução da música.

A imagem central do quadro é o piano, um bloco angular negro que parece flutuar em um som amarelo. Os ouvintes, mostrados como círculos e arcos, são cobertos pelo som, mas, ao mesmo tempo, focalizados no piano.

As obras que tanto impressionaram Kandinsky foram as Três Peças para Piano, Op. 11, compostas por Schoenberg em 1909. Esta obra marca o rompimento definitivo do compositor com a música tonal.

A terceira peça, em particular, elimina completamente a ideia de estrutura e transforma os poderosos acordes da abertura em um mundo de cor e de ritmo. Termina quase meditativa, quase silenciosa.

Schoenberg e suas teorias de composição tiveram grande influência sobre Kandinsky. Em obras posteriores, Kandinsky retrata a música através de uma teia de sinestesia (*). As cores podem ser combinadas para criar a equivalência visual das frequências vibrantes da música.

A arte abstrata se encontra frente a frente com a música.

[Resumo de Musicians and Artists: Schoenberg and Kandinsky, Maureen Buja, Abril/2019]

(*) Sinestesia: associação (de natureza psicológica) de sensações de caráter distinto, como a de um som com uma cor; de um sabor com uma textura etc.

Schoenberg – Três Peças para Piano, Op. 11 | Boris Davidyuk (piano)

A seguir, ouviremos a mesma peça como trilha de um vídeo que mostra diversas pinturas de Kandinsky:

Schoenberg - Obras para Piano | Peter Hill (piano)