Obras

O VOLTAR
Schubert - Trio em Si Bemol, Op. 99 (D.898)
MÚSICA DE CÂMARASchubert

Schubert – Trio em Si Bemol, Op. 99 (D.898)

Basta um olhar para o Trio de Schubert e todas as tristezas de nossa existência desaparecem e o mundo é novamente cheio de frescor e brilho”. (Robert Schumann)

Não se sabe ao certo a data da composição do Trio em Si Bemol, Op. 99, mas deve ter sido no fim de 1827, cerca de um ano antes da morte de Schubert. O Trio deve ter sido escrito ao mesmo tempo que seu par, o Op. 100, mas suas características são bem diferentes: este último é mais sério e dramático, enquanto o anterior é só alegria.

O primeiro movimento é um exemplo de equilíbrio e orquestração. O piano toca o primeiro tempo com as cordas e lhes dá um acompanhamento staccato. Uma escala ascendente no piano leva ao segundo tema, anunciado pelo violoncelo. O movimento apresenta um tempo vigoroso e lírico.

O segundo movimento, Andante un poco mosso (um pouco agitado), começa com uma bela melodia, que lembra uma canção de ninar, primeiro no violoncelo e depois no violino. Segue-se uma elaboração do tema que passa pelos três instrumentos. Surge então uma seção mais elegante que se torna mais agitada, levando a passagens em tom menor. No fim a melodia cadenciada do início do movimento retorna e o Andante termina de maneira suave.

Apesar da indicação Scherzo, Schubert se referiu ao terceiro movimento, em carta a seu editor, como um Minueto, que deve ser tocado “em andamento moderado e sempre piano. O Trio, por outro lado, deve ser vigoroso, exceto quando p e pp são assinalados”. Sua acentuação pesada cria grande contraste com as seções mais graciosas do Scherzo.

O final, um dos mais belos de Schubert, é um rondó. É em forma de dança, durante a qual os três instrumentos se perseguem, com figuras pontuadas, arpejos e trinados. No fim, a música se aquieta, prossegue alegre e depois é interrompida e se encerra em uma cadência.

Schubert – Trio em Si Bemol, Op. 99 (D.898) | Vladimir Ashkenazy (piano), Pinchas Zukerman (violino) e Lynn Harrell (violoncelo)