Obras

O VOLTAR
Villa Lobos Bachianas nº 1
Dia Nacional da Música ClássicaVilla Lobos

Villa-Lobos – Bachianas Brasileiras nº 1

Heitor Villa-Lobos compôs as Bachianas Brasileiras ao longo de quinze anos, de 1930 a 1945. São nove suítes, escritas para diversas combinações de instrumentos e vozes. A maioria dos movimentos tem dois nomes: um “bachiano” – Prelúdio, Fuga, Allegro etc. – e outro brasileiro – Embolada, Modinha, Desafio, Catira batida etc.

As Bachianas são, portanto, sua homenagem a Bach, obras em que ele adaptou as técnicas de harmonia e contraponto do mestre alemão à música brasileira.

A Bachiana nº 1 é escrita para “pelo menos oito violoncelos”. O uso do violoncelo é, por um lado, uma homenagem às Suítes para Violoncelo Solo de Bach e, por outro, o fato de ser este o instrumento preferido de Villa.

Terminada em 1930, possui três movimentos:

  • Introdução (Embolada) – Animato
  • Prelúdio (Modinha) – Andante
  • Fuga (Conversa) – Un poco animato

A introdução, Embolada, tem como inspiração uma canção modernista, e é uma vigorosa Toccata.

O Prelúdio, Modinha, usa uma canção de amor folclórica estilizada, que evoca os movimentos lentos dos concertos de Bach.

A Fuga, Conversa, é a mais óbvia referência a Bach, embora, diz um crítico, “seu tema seja mais próximo do Rio do que de Leipzig”.

Villa-Lobos – Bachianas Brasileiras nº 1 | Violoncelos da Filarmônica de Berlim