Obras

O VOLTAR
Beethoven – Concerto Tríplice para Piano, Violino e Violoncelo em Dó Maior, Op. 56
Brahms

Beethoven – Concerto Tríplice para Piano, Violino e Violoncelo em Dó Maior, Op. 56

O Concerto Tríplice de Beethoven, um dos poucos concertos pós-barrocos para mais de um solista, tem mantido seu lugar no repertório juntamente com a Sinfonia Concertante para Violino e Viola de Mozart e o Concerto Duplo de Brahms.

O início tranquilo do Allegro da abertura é original. Seu primeiro tema é anunciado misteriosamente pelos violoncelos e contrabaixos, antes de se tornar a base para um crescendo orquestral.

É com este tema que os solistas entram um a um. O movimento tem uma riqueza de material temático e também algumas surpresas, como o retorno triunfante do tema principal depois da seção de desenvolvimento.

O Largo é lírico e simples. Seu clima de tranquilidade vem de um sublime solo de violoncelo.

O final é um turbulento Rondó, no estilo de uma Polonaise. O sabor polonês chega ao máximo em um episódio central. O movimento tem um frescor e um vigor que fazem dele um digno final da obra.

Beethoven – Concerto Tríplice para Piano, Violino e Violoncelo em Dó Maior, Op. 56 | Martin Helmchen (piano), Isabelle Faust (violino) e Jean-Guihen Queyras (violoncelo). Orquestra Gewandhaus de Leipzig, regida por Herbert Blomsted.

Saiba mais sobre o Concerto Duplo para Violino e Violoncelo, Op. 102, de Brahms:

Brahms – Concerto Duplo Opus 102