Obras

O VOLTAR
Beethoven – Sonata para Piano e Violino nº 7, Op. 30 nº 2

Beethoven – Sonata para Piano e Violino nº 7, Op. 30 nº 2

Das dez sonatas para violino e piano escritas por Beethoven, apenas duas são em tom menor, a Op. 23 e a Op. 30 nº 2. Esta última, escrita em Dó menor, faz assim parte da linhagem de obras como o Trio Op. 1 nº 3, a Sonata Patética, Op.13, o Quarteto Op.18 nº 4 e a Quinta Sinfonia.

Beethoven, aliás, cita a “Sonata para Piano e Violino nº 7” quando fala do novo caminho de sua música. Ela já é uma obra do segundo período de sua produção, cheia de “sturm und drang” (tempestade e ímpeto).

O Allegro con brio inicial, com seu caráter marcial agitado, evocou a diferentes comentaristas punhos cerrados e ameaçadores, uma chamada de corneta e uma carga da cavalaria prussiana.

Beethoven esboçou o Adagio cantabile em Sol, mas depois o transpôs para Lá bemol, dando assim a esta doce canção um tom mais velado. A abertura gentil e tranquila é um pouco perturbada por uma seção central agitada. Mas o movimento termina em uma nota bela e suave.

O compositor acrescentou um movimento a mais a esta sonata: um scherzo cheio de espírito. O clima alegre e dançante da música lembra Haydn.

O final é dramático e tem um tom premonitório. A coda é um presto incrivelmente cheio de energia.

Beethoven – Sonata para Piano e Violino nº 7 em Dó Menor, Op. 30 nº 2 | Leonidas Kavakos (violino) e Enrico Pace (piano)