Obras

O VOLTAR
Chopin Estudos op.10
ChopinPIANO

Chopin – Estudos, Opus 10

Os dois conjuntos de Estudos de Chopin foram publicados em 1833 (Opus 10) e em 1837 (Opus 25). Ainda hoje, são considerados como a base da técnica moderna do piano.

Cada estudo apresenta um problema específico para o pianista, abordado, porém, de modo a transcender seu objetivo pedagógico: cada um é uma refinada peça romântica.

Diz o pianista Garrick Ohlsson: “Se você souber tocar os Estudos de Chopin, não há praticamente nada que você não possa tocar no repertório moderno”.

Os Estudos do Opus 10 foram dedicados a Liszt.

É difícil escolher qual deles comentar, mas vamos citar alguns:

  • Chopin dizia nunca ter escrito uma melodia tão bela quanto a do Estudo nº 3, Tristesse;
  • O nº 5 (o famoso estudo para as teclas pretas) tem tercinas pentatônicas na mão direita, apenas nas teclas pretas. O efeito deve ter parecido exótico para o público da época;
  • O nº 6 é quase um noturno. “O tempo fica parado”, diz um comentarista, “durante seus poucos minutos, em que Chopin transmite sentimentos para os quais não há palavras”;
  • O nº 12, que encerra o ciclo, é o famoso “Estudo revolucionário”. Supostamente inspirado na invasão da Polônia pelos russos, é dramático e marcial. “Seus motivos rítmicos apaixonados”, diz o grande pianista Alfred Cortot, “exprimem uma revolta animada por uma força terrível e misteriosa.”

Chopin – Estudos, Op. 10 | Maurizio Pollini (piano)