Obras

O VOLTAR
Erik Satie – Noturnos
Satie

Erik Satie – Noturnos

Os Noturnos são cinco peças para piano solo de Erik Satie (originalmente eram sete, porém duas permaneceram inacabadas), compostas em 1919 (exceto o Premier Menuet). São as últimas obras para piano solo do compositor, consideradas entre suas melhores.

Em agosto de 1919, Satie escreveu à sua amiga Valentine Hugo, artista e escritora: “Estou chegando ao fim do meu terceiro Noturno, que vou dedicar a você. Os três não são nada maus. O primeiro é um prelúdio; o segundo, mais curto, é muito terno – muito noturno –; o terceiro (o seu) é mais rápido e dramático, mais longo que o primeiro”. Mais adiante, Satie compôs peças adicionais, as de número 4 e 5, datadas de outubro e novembro do mesmo ano.

Rollo H. Myers, o primeiro biógrafo de Satie em língua inglesa (1948), relacionou os Noturnos, juntamente com algumas das últimas obras do compositor, como sendo “excepcionais – não podem ser ignorados por nenhum estudante de música contemporânea”.

Posteriormente afirmou: “(Os Noturnos) são concebidos em um espírito grave e austero. O estilo é despojado, simplificado, sem compromisso em sua rejeição de qualquer apelo sensual, mas a música é estranhamente impressionante em sua aridez quase desumana”.

Segundo o crítico John Keillor, as peças “estão entre as obras-primas não descobertas do Século XX”.

Erik Satie – Noturnos | Pascal Rogé (piano)