BLOG

B VOLTAR
Erik SATIE EXCÊNTRICO

Erik Satie: Excêntrico

“Meu nome é Erik Satie, como todos os outros (ou como todo mundo)”.

(trechos de cenas da peça teatral Je m’appelle Erik Satie comme tout le monde)

Erik Satie se apresentava como um gimnopedista (alusão à sua obra Trois Gymnopédies).

Era conhecido como o Cavalheiro de Veludo (Velvet Gentleman). Possuia doze ternos de veludo cotelê cinza. Usava um até estar muito puído e trocava por outro.

Tinha cerca de 100 guarda-chuvas. Não os abria durante a chuva para não estragá-los.

Morava em um quarto minúsculo, mas tinha dois pianos, um em cima do outro, com os pedais interligados.

Mudou-se de Montmatre (bairro dos artistas e boêmios) para o subúrbio de Arcueil, muito mais barato. Era longe de Montmartre, onde ele trabalhava como pianista de cabaré. Todo os dias andava dez quilômetros de ida e dez de volta do trabalho.

Quando saía, levava sempre um martelo como proteção.

Era membro da Ordem Mística da Rosa e da Cruz do Templo e do Graal. Mais tarde, foi fundador da Igreja Metropolitana da Arte de Jesus Condutor.

Obras

No balé Parade, usou na orquestra uma máquina de escrever, duas sirenes a vapor, um reco-reco, um garrafafone (garrafas que usavam água para produzir diferentes tons) e um revólver, para efeitos sonoros.

Satie – Parade (1917) | Obra Sur-realista

Debussy, de quem era amigo, criticava a falta de forma nas peças de Satie. Ele respondeu à crítica compondo Três Pedaços em Forma de Pera. 

Erik Satie – Trois Morceaux em forme de Poire (Três Peças em forma de Pera)

Compôs Vexations (Vexames), uma peça breve que deve ser repetida 840 vezes.

Erik Satie – Vexations

Embriões dissecados, composta em 1913, tinha como tema os crustáceos.

Satie – Embriões dissecados

Criou a Música de Mobília (música de ambiente, de fundo). Testou a ideia em uma exposição: um pequeno grupo tocava em um canto do salão. Quando as pessoas, curiosas, se aproximavam para ouvir, Satie as enxotava freneticamente.

Satie por ele mesmo:

“Meu médico me dizia sempre para fumar (cigarros, claro). Ele explicava: ‘Fume, meu amigo, senão alguém vai fumar em seu lugar’.”

“Durmo com um olho só, profundamente fechado. Minha cama é redonda com um buraco para enfiar minha cabeça. De hora em hora, um empregado toma minha temperatura e me dá outra.”

“Tenho bom apetite, mas nunca falo quando como, com medo de me estrangular.”

“Minha nutrição consiste de alimentos brancos: ovos, açúcar, ossos de frango moídos, sal, cocos, frutos mofados…” [Memórias de um Amnésico]

DESTAQUES