Obras

O VOLTAR
Satie – Trois Morceaux em forme de Poire (Três Peças em forma de Pera)
Satie

Erik Satie – Trois Morceaux em forme de Poire (Três Peças em forma de Pera)

Debussy tinha certa vez criticado Satie, dizendo que sua música não tinha forma. A resposta de Satie foi compor seu famoso ciclo para piano a quatro mãos Trois Morceaux en forme de Poire (Três peças em forma de Pera; Poire quer dizer pera, mas também imbecil).

Satie vai, ao longo do caminho, brincando e ironizando: as três peças são de fato sete, a Prolongação do Mesmo é completamente diferente da peça anterior e Redite, redita, dita de novo, não o é.

São as seguintes as sete peças – Satie usou material de outras obras, exceto na nº 3:

  1. Manière de commencement(Uma maneira de começar) – Moderato

Uma Gnossienne não publicada, originalmente escrita como música incidental para a peça Le Fils des Étoiles; 

  1. Prolongation du même(Prolongação do Mesmo) – Em passo de caminhada

Uma marcha baseada em uma canção de cabaré inacabada, Le Roi Soleil de Plomb (O Rei Sol de Chumbo);

  1. Morceaux 1(Peça 1) – Lentamente.

A única peça composta originalmente para o ciclo;

  1. Morceaux 2(Peça 2) – En levé (destacado)

Uma efervescente marcha e trio, baseada em duas canções de cabaré, Imperial-Napoleão e O Viúvo; 

  1. Morceaux 3(Peça 3) – Brutal

Na seção central, Satie evoca o estilo das Peças Frias. 

  1. En plus(A Mais) – Calmo

Uma transcrição literal da Dança para conjunto de câmara (1890); 

  1. Redite(Refeita) – Lenta

Usa material da música abandonada para O Boi Angorá e alude a valsas populares, como Je te veux (Eu te quero).

(Referência da lista – Wikipedia)

Satie – Trois Morceaux em forme de Poire | Aldo Ciccolini e Gabriel Tacchino, piano (dois de seus maiores intérpretes)