Obras

O VOLTAR
Strauss – Valsas de O Cavaleiro da Rosa

Strauss – Valsas de O Cavaleiro da Rosa

Richard Strauss (1864–1949) foi um dos expoentes do romantismo tardio alemão. Ficou famoso por suas óperas, entre as quais Salomé e O Cavaleiro da Rosa; por seus poemas sinfônicos, como Assim falou Zaratustra e Don Juan; e por suas canções, especialmente as Quatro Últimas Canções, obra-prima escrita em 1948, pouco antes de sua morte.

Entre o final do século XIX e início do XX, começaram a surgir as primeiras obras de música moderna, como o Prelúdio à Tarde de um Fauno, de Debussy (1894), e Pierrot Lunaire, de Schoenberg (1912). Strauss, porém, continuou compondo no estilo romântico tardio, inspirado por Wagner e desenvolvido por ele mesmo, Bruckner e Mahler, até a sua morte, em 1949.

O Cavaleiro da Rosa é uma ópera cômica e teve uma estreia triunfal em Dresden, em 1911. As poucas críticas da época se referiam ao uso das valsas na obra – danças, então, consideradas “fora de moda”. Hoje em dia, no entanto, as valsas estão entre suas peças mais populares.

Vamos ouvir duas valsas, a primeira melancólica e a segunda apoteótica, do final da ópera.

Strauss – Valsas da ópera O Cavaleiro da Rosa, Op. 59 | Leonard Bernstein rege a Orquestra Filarmônica de Nova York.