BLOG

B VOLTAR
o violão

O Violão

Um dos instrumentos mais populares do mundo, o violão faz parte da família das cordas dedilhadas. Muito versátil, pode ser usado em praticamente qualquer gênero ou estilo musical, tanto como instrumento solista, em conjuntos de câmara, ou como acompanhamento de canto.

O violão é formado por um corpo de madeira em formato de oito, um tampo com um orifício circular, um braço com várias divisões (trastes) colado ao corpo e, na extremidade do braço, seis cravelhas que controlam a tensão de seis cordas (geralmente de nylon) e sua afinação. Ao longo do tempo, o violão sofreu diversas evoluções e, atualmente, possui uma grande variedade de formatos e tamanhos, cada qual mais apropriado a um estilo de execução.

Seu antepassado mais remoto é o chelys, construído com um casco de tartaruga fechado com couro de boi e cordas de tripas de carneiro esticadas. Ele surgiu na Grécia há cerca de dois mil anos antes de Cristo. Com o passar do tempo, se transformou na lira, que recebeu o nome de guitarra romana durante o Império dos Césares, e acabou desaparecendo com a decadência de Roma.

Na Arábia do século 8 surgiu o alaúde, instrumento de cordas com uma caixa de ressonância em forma de pera, que se difundiu pela Europa durante as invasões árabes na Península Ibérica. Os povos ibéricos o chamavam de guitarra mourisca e posteriormente reduziram o seu tamanho e alteraram sua caixa de ressonância para o formato de um oito, rebatizando-o de vihuela.

Outros precursores do violão foram a guitarra renascentista (com quatro cordas), a guitarra barroca (com cinco cordas) e a guitarra romântica (com seis cordas). Esta última é considerada a precursora direta do violão atual (que também é chamado de guitarra clássica).

Entre os gêneros que mais utilizam o violão estão o flamenco espanhol, o vals peruano, a cumbia colombiana, o joropo venezuelano, as rancheras mexicanas e o fado português. Na música popular brasileira é tocado no samba, no choro, na bossa nova, na modinha e em diversos outros estilos.

Na música clássica, vários compositores escreveram especialmente para o instrumento, usando formas musicais como prelúdios, sonatas e concertos. Entre os principais estão Fernando Sor (1778-1839), Francisco Tárrega (1852-1909), Andrés Segovia (1893-1987), Joaquín Rodrigo (1901-1999) e Leo Brouwer (1939-).

Outros compositores, apesar de não terem escrito especificamente para o violão, tiveram muitas de suas obras transcritas para o instrumento, como é o caso de Isaac Albéniz (1860-1909) e Enrique Granados (1867-1916).

Entre os brasileiros, escreveram para o violão Heitor Villa-Lobos (1887-1959), que também tem muitas obras transcritas para o instrumento, Radamés Gnattali (1906-1988) e muitos outros.

DESTAQUES