BLOG

B VOLTAR
Música Clássica Cinema Ensaio.de.Orquestra.Fellini

Música no Cinema

A música está presente nas telas desde o cinema mudo. Durante a exibição do filme, era comum que um pianista tocasse a música de fundo ao vivo. Às vezes, grupos maiores também faziam essa função (Villa-Lobos, por exemplo, quando jovem, tocava em orquestras de cinema para ajudar no sustento da família).

Com o advento do cinema falado, surge o conceito de trilha sonora, com a música seguindo o roteiro do filme, realçando a atmosfera de cada cena: momentos românticos, tristes, cômicos e assim por diante.

Aparecem, então, os compositores de música para cinema. Entre os mais conhecidos, podemos citar Leonard Bernstein, Nino Rota, John Williams, Ennio Morricone, Vangelis e Henry Mancini.

A música clássica também é muito utilizada em trilhas sonoras.

Quinzenalmente, Clássicos dos Clássicos destaca um filme cuja trilha sonora utiliza a música clássica, ou tem sua música original especialmente composta para esse fim. Veja no texto a seguir uma lista de filmes e suas músicas. As que estão grifadas já possuem posts dedicados no site – é só clicar para acessar:

 

– Música composta especialmente para filmes:

Entre os compositores pioneiros estão: 

Erich Korngold: inicialmente escrevia música clássica, mas o compositor austríaco teve de se mudar para os Estados Unidos durante a Segunda Guerra Mundial, tornando-se um dos primeiros a compor música para o cinema, como para o filme The Adventures of Robin Hood, de 1938, entre outros;

Dmitri Shostakovich: o compositor russo escreveu sua primeira trilha para o filme mudo A Nova Babilônia, de 1929. Posteriormente, compôs para mais de trinta filmes, até 1970. O filme de maior sucesso foi Ovod, de 1955.

Aaron Copland: o norte-americano escreveu a trilha de Of Mice and Men, de 1939, entre outros filmes.

A estes se seguiram outros compositores, como Sergei Prokofiev, Philip Glass e Arvo Pärt.

 

– Música clássica pré-existente em filmes:

É enorme o número de peças de música clássica usadas como trilha para o cinema. Eis alguns exemplos de reconhecidos diretores que as utilizaram em suas produções:

Ingmar Bergman (um dos diretores mais musicais):

– Gritos e Sussurros – Sarabanda da Suíte para Violoncelo nº 5, BWV 1011, de Johann Sebastian Bach;

Fanny e AlexanderQuinteto, Op. 44, de Robert Schumann;

– Através de um Espelho – Sarabanda da Suíte para Violoncelo nº 2, BWV 1008, de Bach;

Sonata de OutonoPrelúdio nº 2 em Lá Menor de Chopin; Sarabanda da Suíte para Violoncelo nº 4, BWV 1010, de Bach.

Louis Malle 

Le Feu Follet (Fogo Fátuo | Trinta anos esta noite) – de Erik Satie, Gymnopedies nºs 1, 2 e 3, e Gnossiennes nºs 1, 2 e 3;

Amantes ­Sexteto nº 1, Op.18, de Brahms.

Luchino Visconti

Vagas Estrelas da Ursa Prelúdio, Coral e Fuga, de César Franck;

Morte em Veneza – de Gustav Mahler, Adagietto da Sinfonia nº 5 e trechos da Sinfonia nº 3.

Francis Ford Coppola

Apocalipse Now A Cavalgada das Valquírias, de Richard Wagner.

Lars von Trier

Melancolia – Prelúdio da ópera Tristão e Isolda, de Wagner.

Stanley Kubrick

Barry Lyndon – destaque para o Trio nº 2, Op. 100, de Franz Schubert, além de várias peças de Bach, Georg Friedrich Händel e Antonio Vivaldi;

– A Laranja Mecânica – Pompa e Circunstância, de Edward Elgar; Música para o Funeral da Rainha Mary, de Henry Purcell; coral da Nona Sinfonia, de Ludwig van Beethoven (adaptação);

2001: Uma Odisseia no EspaçoAssim falou Zaratustra, de Richard Strauss, e a valsa Danúbio Azul, de Johann Strauss.

Andrei Tarkovsky

– Solaris – de Bach, Variações Goldberg, BWV 988 (Variação 15); Prelúdio Ich ruf’ zu dir, Herr Jesu Christ, BWV 639;

– O Sacrifício – de Bach, a Ária Erbarme dich mein Gott, BWV 244, e a Canção Komm süsser Tod, BWV 478;

– Nostalgia – Prelúdio e Fuga nº 8, do Cravo Bem Temperado, Livro 1, BWV 853,de Bach; trecho final da Nona Sinfonia de Beethoven.

Walt Disney

Fantasiacoleção de desenhos animados acompanhados de peças clássicas. Leopold Stokowski rege a Orquestra da Filadélfia. Entre as obras tocadas estão a Sagração da Primavera, de Igor Stravinsky; a Sinfonia Pastoral, de Beethoven; e a Suíte Quebra-Nozes, de Pyotr Ilyich Tchaikovsky.

 

Para conhecer mais, existem várias compilações de obras clássicas usadas no cinema, classificadas por compositores ou filmes, como por exemplo:

Classical Music in Films – a Listing by composers:

http://www.allegro-c.de/formate/cmm.htm

Naxos: Classical Music in Movies:

https://www.naxos.com/musicinmovies.asp

 

Foto: cena do filme Ensaio de Orquestra, de Federico Fellini.

DESTAQUES